Professor Hermano Filipe

Prof. Hermano

Hermano Filipe Carneiro, nascido no ano de 1979, iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música Valentim Moreira na classe de Trompete do professor Vasco Faria. Nessa escola foi ainda aluno de Piano da professora Alexandra Eiras e de Composição do professor André Rodrigues. Em 2006 fez estudos superiores em música obtendo em 2010 o diploma de Licenciatura em Formação Musical pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo – Porto. Nesta escola estudou ainda Harmonia e Improvisação ao Piano com o pianista e professor José Parra e Orquestração com o compositor Dimitris Andrikopoulos.

Como trompetista, realizou várias audições e recitais no âmbito da sua formação tendo participado em 2004 no Ciclo de Concertos “Jovens Músicos de Guimarães”. Como pianista, obteve em 2006 o 1º Prémio da Categoria D – para segundo instrumento no “II Concurso Interno de Piano de Academia de Música Valentim Moreira de Sá.

Prof. Hermano

A nível coral, fez parte do Coro da ESMAE pelo qual, em 2007 na Casa da Música, interpretou obras de Stravinsky e Luciano Berio. Para além destes, teve ainda oportunidade de interpretar com o mesmo coro obras de compositores como J. S. Bach, J. Haydn, Felix Mendelssohn, Brahms, Benjamin Britten, Frank Martin e John Rutter. Trabalhou ainda técnica vocal com os cantores Oliveira Lopes e Sara Braga Simões e estudou canto com a mezzo-soprano Margarida Reis.

No que respeita à Direcção Coral, a sua formação académica foi adquirida e desenvolvida no âmbito da sua licenciatura com a maestrina Bárbara Frank. Além disso, fez ainda formação complementar em Direcção Polifónica promovida pelo Centro Ward de Lisboa nas Semanas de Estudos Gregorianos e Direcção Coral pelo Curso Internacional de Música Vocal.

Enquanto professor, lecciona a disciplina de Formação Musical na Academia de Música Valentim Moreira de Sá desde o ano 2008. Em Julho de 2010 assumiu a Direcção Artística do Coral do Azurém.

A intensa actividade profissional, que lhe ocupava demasiado tempo, não permitiu que a sua permanência como Director Artístico se tenha prolongado no tempo como era seu desejo e, em Abril de 2012 foi mesmo forçado a abdicar.