Igreja de Sto. António dos Capuchos

Igreja Capuchos

Começa em 1664 a história da Igreja de Sto. António dos Capuchos. Foi nesse já longínquo ano que foi lançada a primeira pedra para a construção do Convento dos Capuchos no qual a Igreja viria a ser integrada. Esse convento foi albergue dos frades Capuchos que ali se instalaram a partir de 1668 ainda a obra de construção não fora concluída.

A qualidade pobre e irregular da construção levou a que em 1742 os frades procedessem à reedificação do Convento com pedraria retirada dos Paços dos Duques de Bragança.

Quando se verificou a extinção das Ordens religiosas o Convento passou a pertencer à Fazenda Nacional que mais tarde, em 1842, o vendeu à Irmandade da Misericórdia com o intuito de ali ser instalado o seu hospital geral. No entanto e porque o Convento não se prestava ao bom funcionamento das práticas hospitalares resolveu a Irmandade da Misericórdia proceder à sua demolição e construir de raiz e no mesmo espaço um hospital condigno.

Da antiga construção ficou apenas a Igreja, a sacristia e o claustro e, foi nesta Igreja com frontaria de pedra fina, elegante e bem lavrada que em 1952 o saudoso Padre José Ribeiro também lançou uma primeira pedra, aquela que tornaria possível a “construção” do nosso Grupo Coral.

Hoje decorridos 57 anos, são muitos os coralistas que continuam a sentir aquele lugar como a sua segunda casa, não por nostalgia, mas pelo carinho ali recebido e por todos os belos momentos outrora lá vividos.

A Igreja de Sto. António dos Capuchos foi recentemente alvo de obras de restauro que incluiu também o restauro do seu magnifico Órgão Ibérico e o largo frontal da Igreja foi igualmente alvo de intervenção urbanística.