Cidade de Guimarães

Guimarães

Guimarães é uma terra antiquíssima cujo nome se perde na noite dos tempos e na imensidade que então era da Hispânea, ou Peninsula Ibérica.

Diz a tradição que o Papa S. Dâmaso (c. 305-384) nasceu em Guimarães ou na região Vimaranense.

Guimarães é palavra de origem germânica. Historiadores há que são de parecer que o topónimo Vimaranis não pertence à reconquista, mas à época Sueva.

À volta de Guimarães se ergueram vários crastos, sendo de assinalar o de Sabroso e a Citânea de Briteiros, que o sábio arqueólogo vimaranense Martins Sarmento, estudou profundamente. Mas foi nos meados do séc. X que Mumadona viria aqui fundar o seu mosteiro, fundação que devia ser a 949 em virtude de uma doação feita nesse ano à Igreja de S. Salvador e Santa Maria, como nesse tempo era conhecido e designado o mosteiro.

Castelo de Guimarães

Para o defender das invasões dos Normandos, muito frequentes em terras da Galiza, mandou erguer cerca de 961 um castelo na colina de S. Mamede , sobranceira ao mosteiro, à volta do qual se viria a desenrolar, em 24 de Junho de 1128, a Batalha de S. Mamede em que foi proclamada e firmada a Independência de Portugal.

O Mosteiro foi no tempo de D. Afonso Henriques e por sua vontade, transformado em colegiada, cujos primeiros Estatutos datam de 1291.

Em 7 de Novembro de 1385, após a vitória de Aljubarrota e, como cumprimento de um Voto feito a Nossa Senhora da Oliveira, o rei D. João I, depois de deixar junto do altar da Senhora o loudel que vestia nessa memorável batalha e um oratório em prata, que ficou a designar-se Altar de Aljubarrota. Tomou debaixo da sua protecção e defesa a Igreja, o Prior e o cabido da Colegiada estabelecendo em seu beneficio um grande número de regalias seguidamente confirmadas e alargadas pelos reis que lhe sucederam.

Rua Santa Maria

Junto deste templo encontra-se o padrão noni-gótico comemorativo da Batalha do Salado, tendo à sua direita os antigos Paços do Concelho, obra que se iniciou ainda no reinado de D. João I.

Muitos outros monumentos existem em Guimarães: O antigo Convento de Sta Clara, que teve inicio no séc. XVI; o Castelo e a Igreja de S. Miguel, onde a tradição diz ter sido baptizado D. Afonso Henriques; os Paços dos Duques de Bragança e de Guimarães: a estátua de D. Afonso Henriques, obra de Soares dos Reis; a Igreja e o Convento dos Capuchos, que data do séc. XVII; a Igreja do Carmo, cuja construção se iniciou em 1685; a Igreja de S. Domingos que fazia parte do demolido Convento do séc. XIV; a Igreja da Misericórdia do séc. XVI; a Igreja das Dominicas; a Igreja do Convento da Costa que foi fundado no séc. XIII; a Basílica de S. Pedro do Toural; a Igreja de Santos Passos; a Igreja de S. Dâmaso, etc etc, etc.

Padrão do Salado

Guimarães possui também 2 museus: o da Sociedade Martins Sarmento, com grande nome internacional no campo da Arqueologia e, o Museu Alberto Sampaio, instalado no claustro românico da Colegiada e criado em 1928, constituindo-se uma das grandes jóias de Guimarães.

Guimarães pertenceu desde o seu inicio ao Rei de Portugal. Em 1464 D. Afonso V eleva a vila de Guimarães a condado dando-a a D. Fernando III Duque de Bragança, situação que terminou em 1638.